Estado Islâmico reivindica autoria de atentado em Nova York

Sayfullo Saipov, do Uzbequistão, atropelou e matou 8 pessoas em uma ciclovia de Manhattan e deixou 12 feridos.
Polícia trabalha próximo de veículo usado em ataque a ciclovia perto do memorial do World Trade Center, em Nova York, na madrugada desta quarta-feira (1º) (Foto: Andres Kudacki/AP)

O grupo Estado Islâmico (EI) reivindicou na madrugada desta sexta-feira (3) a autoria do atentado terrorista em Nova York que deixou 8 mortos e 12 feridos, na terça-feira (31). Na quarta-feira (3), o presidente dos EUA, Donald Trump, pediu que Sayfullo Saipov, autor do ataque, seja condenado à morte.
Segundo a agência Reuters, a responsabilidade pelo ataque com um caminhão em uma ciclovia de Manhattan foi reivindicada pelo grupo na publicação online do jornal Al-Naba.
Na edição semanal do jornal, o Estado Islâmico afirmou que "o atacante é um dos soldados califados", entretanto, não forneceu provas para sustentar a reivindicação.
Uzbeque Sayfullo Saipov, de 29 anos, foi apontado como autor do ataque que deixou 8 mortos em Nova York, na tarde de terça-feira (Foto: Department of Corrections/Reuters)

Ligações com o EI

Durante as investigações após o atentado, a polícia encontrou 90 vídeos e 3.800 fotos no celular do autor do atentado, com inúmeras imagens do Estado Islâmico, incluindo do líder do grupo, Abu Bakr al-Baghdadi.
Entre os vídeos, há cenas de extrema violência, com prisioneiros sendo baleados no rosto, um homem sendo atropelado por um tanque e pelo menos uma cena de decapitação. Outro vídeo fornece instruções para fabricar explosivos caseiros.
O governador de NY, Andrew Cuomo, confirmou que o autor do ataque, o uzbeque Sayfullo Saipov, era ligado ao grupo.
Autoridades investigam a cena perto de corpo coberto, em Nova York (Foto: Bebeto Matthews/AP)

De acordo com a Procuradoria do Distrito Sul de Nova York, em seus primeiros depoimentos, Saipov declarou que cometeu o ataque inspirado por vídeos do Estado Islâmico, especialmente um em que o líder al-Baghdadi perguntava o que muçulmanos nos EUA estavam fazendo para responder às mortes dos muçulmanos no Iraque.
Ele também contou que alugou outro caminhão em 22 de outubro para "praticar manobras" e que escolheu o Halloween para atacar por acreditar que nesta data haveria mais gente nas ruas. Saipov também afirmou que cogitou colocar uma bandeira do Estado Islâmico no caminhão na terça, mas mudou de ideia porque percebeu que chamaria muita atenção.
Mapa do ataque em Nova York (Foto: Alexandre Mauro, Igor Estrella e Roberta Jaworski/G1)

O ataque

Na tarde de terça-feira (31), ele usou um caminhão para invadir uma ciclovia no sul de Manhattan para atropelar diversas pessoas. Além dos oito mortos, 12 pessoas ficaram feridas.
Após atingir os ciclistas, o caminhão seguiu pela rua e bateu em um ônibus escolar. O motorista saiu do veículo gritando "Allahu Akhbar" (Deus é Grande, em árabe), segundo testemunhas, e portando uma arma de paintball e outra de ar comprimido. Dentro do caminhão a polícia encontrou um bilhete com referências ao Estado Islâmico. 




Por G1 
COMPARTILHAR:

+1

Publicidade:

Roraima music no twitter

Total de visualizações

Cursos Online

Receba Nossas atualizações

•Recomende-nos No Google+
•Receba Nossas Notícias do Roraima Music Por e-mail