Homens dizem que foram torturados por suspeita de envolvimento em morte de crianças na Zona Leste

Eles negam envolvimento e polícia diz que não há evidências que liguem os homens ao assassinato das meninas.
Homens teriam sido torturados por suspeita de participação em crime (Foto: Reprodução/TV Globo)

Dois homens foram encontrados machucados e amarrados em um barraco no Jardim Queralux, na Zona Leste, suspeitos de envolvimento na morte das duas meninas encontradas mortas dentro de uma caminhonete.
A polícia esteve no local, após receber uma denúncia. Os homens dizem que foram torturados por pessoas que achavam que eles teriam participado da morte das meninas. Um deles, de 37 anos, já cumpriu pena por estupro.
Os dois disseram para a polícia que foram pegos por homens que estavam em um carro vermelho, no fim da tarde de domingo (15), e que foram torturados para confessar que mataram as meninas, mas negaram.
Os homens foram levados para o Instituto Médico Legal, fizeram o exame de corpo de delito e forneceram amostras de DNA. Para a polícia, não há evidências que liguem os homens ao assassinato das meninas, de três anos de idade. Eles foram liberados.
O delegado Eduardo de Camargo Lima afirma que eles foram ouvidos na condição de vítimas de tortura. “Eles negam [participação na morte das meninas] e disseram que desconhecem os motivos pelos quais eles foram apontados como autores.”
Beatriz Moreira dos Santos e Adrielly Mel Severo Porto sumiram no dia 24 de setembro (Foto: Reprodução/TV Globo)

Desaparecidas

A Polícia Civil de São Paulo aguarda o resultado do exame de DNA nos dois corpos encontrados na última quinta-feira (12) dentro de uma pick-up em uma comunidade na Zona Leste para saber se eles são mesmo das meninas de 3 anos desaparecidas no mês passado. Beatriz Moreira dos Santos e Adrielly Mel Severo Porto sumiram no dia 24 de setembro.
“Estamos dependendo do laudo do IML [Instituto Médico Legal], mas a probabilidade é grande de serem as crianças”, disse nesta segunda-feira (16) ao G1 a delegada Ana Lucia Lopes Miranda, da Delegacia de Pessoas Desaparecidas. “Não há previsão de quando ele ficará pronto, mas a expectativa é a de que seja nesta semana”.
A polícia suspeita que asfixia foi a causa da morte das duas meninas. Por causa do estado dos corpos, os legistas ainda não conseguiram concluir se houve abuso sexual. A polícia também não descarta a hipótese de que as meninas tenham morrido por acidente.
A identidade das vítimas ainda não foi descoberta. Moradores da região acreditam que os corpos sejam de Adrielli Mel Porto, a Mel, de 3 anos e 8 meses, e de Beatriz Moreira dos Santos, a Bia, de 3 anos e 11 meses. As meninas desapareceram em 27 de setembro. Os cadáveres foram encontrados a cerca de 150 metros do local onde elas foram vistas pela última vez.

O pai de Mel fez nesta segunda o exame de DNA no Instituto Médico-Legal (IML). Na semana passada, foi a mãe da menina que realizou o mesmo exame. “Estamos dependendo do laudo do IML [Instituto Médico Legal], mas a probabilidade é grande de serem as crianças”, disse nesta segunda-feira (16) ao G1 a delegada Ana Lucia Lopes Miranda, da Delegacia de Pessoas Desaparecidas. “Não há previsão de quando ele ficará pronto, mas a expectativa é a de que seja nesta semana”.



Por Bom Dia SP, São Paulo 
COMPARTILHAR:

+1

Publicidade:

Roraima music no twitter

Total de visualizações

Cursos Online

Receba Nossas atualizações

•Recomende-nos No Google+
•Receba Nossas Notícias do Roraima Music Por e-mail