Roraima é um dos 10 estados com maior incidência de raios no Brasil

Somente neste mês, que marca a transição do inverno para o verão roraimense, quatro pessoas foram atingidas por raios no Estado
Raios caem com maior incidência em Roraima no fim do período chuvoso (Foto: Hione Nunes)

Nesse período de transição do inverno para o verão, todo cuidado é pouco em relação a descargas elétricas. De acordo com um levantamento feito pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), o Brasil é o campeão em número de incidência de raios. Entre 2000 e 2016, foram mais de três mil pessoas mortas pelo fenômeno no país, sendo 800 crianças aproximadamente. Em Roraima, no decorrer deste mês, quatro pessoas foram atingidas por raios.
Realizado pelo Grupo de Eletricidade Atmosférica (ELAT) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), um levantamento foi divulgado pela rede BrasilDATDataset que integra diferentes tecnologias de detecção de raios em superfície e permite identificar os raios com maior precisão. A quantidade de raios identificada aponta que os fenômenos El Niño e La Niña modulam a ocorrência de raios no Brasil numa intensidade muito acima do que poderia ser esperado em consequência do aquecimento global.
Foram detectados valores precisos da densidade de raios (quantidade de raios por quilômetro quadrado por ano) para os diversos estados e municípios brasileiros. O Estado com maior densidade é o Tocantins, com 17,1 raios por quilômetro quadrado, seguido por Amazonas (15,8), Acre (15,8), Maranhão (13,3), Pará (12,4), Rondônia (11,4), Mato Grosso (11,1), Roraima (7,9), Piauí (7,7) e São Paulo (5,2), os quais são os 10 primeiros estados com maior densidade de raios por quilômetro quadrado por ano.
"Os raios são uma das inúmeras e intensas manifestações da natureza na busca de equilíbrio. Eles ocorrem a partir do choque de partículas de gelo no interior de nuvens de tempestade. É uma busca de equilíbrio elétrico natural. Segundo o próprio Inpe, o aumento considerável na incidência registrado deve-se a fenômenos de larga escala. Mas também é plausível que a elevação seja consequência das mudanças climáticas globais", disse o meteorologista da Fundação Estadual do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Femarh), Ramón Alves. Conforme estimativas do órgão, a ocorrência de descargas elétricas gera prejuízos anuais ao país na ordem de R$ 1 bilhão.
"Umas das maneiras das pessoas se protegerem dos raios é através da educação, pois por meio de uma boa informação e conscientização pode-se evitar grandes desastres. Quando ocorrer fenômenos como esse, as pessoas devem se abrigar em locais fechados e só saírem quando estiver tudo tranquilo. Em hipótese alguma fiquem próximo a carros e outros veículos, em locais muito abertos. Não se abriguem próximos a árvores e cercas, evitem estar perto de objetos que conduzem eletricidade", frisou Alves.
PERÍODO QUENTE – O final da estação de inverno no Estado vai até 30 de setembro e a previsão é típica para o período: dias quentes e com poucas chuvas. A informação é do meteorologista da Fundação Estadual do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Femarh), Ramón Alves. Segundo ele, a previsão para os próximos dias é de um período de calor, porém dentro da média histórica. Pode haver fortes pancadas de chuvas, mas dentro da média para o período.
Conforme o meteorologista, a principal característica do final da estação este ano são os dias mais curtos e a virada brusca no tempo, com chuvas no final do dia. “Neste final de inverno podemos frisar como ponto marcante dias rápidos e mudança de tempo repentina, com pancadas de chuva no final do dia. Elas serão muito fortes e rápidas”, disse. (E.S)
Como se precaver para não ser atingido por um raio
1 – Evite ficar em quaisquer áreas abertas como campos abertos, campos de futebol ou estacionamentos. Sendo a coisa mais alta por perto, você será o alvo mais fácil.
2 – Fique longe de formas de metal. Um raio é eletricidade, e o metal é um condutor de eletricidade. E você também. Você e o metal, juntos, formam um ótimo alvo.
3 – Caso esteja nadando, pare de nadar e saia da água. A água é um condutor.
4 – Não fique embaixo de objetos altos, como árvores ou torres. Devido à altura, estes são alvos fáceis e a eletricidade pode saltar para você também.
5 – Não carregue guarda-chuva. Você pode ficar encharcado se começar a chover, mas é melhor do que morrer.
6 – Encontre um carro e entre nele. Carros são lugares muito seguros para se estar durante tempestades. Mesmo que sejam de metal e pareçam ser um alvo perfeito, se forem atingidos, a eletricidade será conduzida através do metal do veículo e em torno de seu corpo, não por ele, indo em direção ao solo.
7 – Se você for pego em um campo aberto durante uma tempestade, encontre uma vala para se deitar, se possível. Senão, agache-se com a cabeça entre os joelhos (e não deitado esticado). Tente tornar-se tão pequeno quanto possível.
8 – Não solte pipas, papagaios ou raias.






Por Folha Web
COMPARTILHAR:

+1

Publicidade:

Roraima music no twitter

Total de visualizações

Cursos Online

Receba Nossas atualizações

•Recomende-nos No Google+
•Receba Nossas Notícias do Roraima Music Por e-mail