'Parecia festa junina', diz morador do Morumbi sobre tiroteio com dez mortos

Quadrilha especializada em roubos a residências foi morta durante confronto com policiais civis na Zona Sul de SP. Vizinhos do local onde caso ocorreu pensaram que tiros fossem fogos de artifício.
Carro usado pelos bandidos foi alvejado e colidiu contra poste no Morumbi (Foto: Reprodução/TVGlobo/Almir Padial)

Moradores do Morumbi, Zona Sul de São Paulo, onde dez criminosos foram mortos em um confronto com policiais na noite deste domingo (3), chegaram a pensar que os tiros fossem, na verdade, fogos de artifício.
"Eu estava na sauna e comecei a ouvir muito barulho. Parecia festa junina. Pensei quem era um louco soltando fogos nessa época do ano. Depois que comecei a ver helicópteros voando e a polícia", relata o administrador Sérgio Moraes, que mora a poucos metros de onde os corpos estavam estendidos à espera do trabalho da perícia.
Outro morador do bairro, também administrador de empresa, mas que preferiu não se identificar, foi mais um a se confundir. Mais de 50 tiros foram disparados em quase 20 minutos de confronto. "Achei que fossem mesmo. Minha mulher que disse que aquilo não eram fogos", conta ele, que mora há cerca de 30 anos na região.
De acordo com o homem, os assaltos são frequentes na região. "O bairro, como toda a cidade, está muito perigoso. Aqui fica ainda mais, por ter muitas casas e ficar perto de Paraisópolis [favela]. Hoje parece que vai ficar melhor, graças ao trabalho da polícia", comentou.
Segundo um casal de idosos que acompanhava a remoção dos corpos no cruzamento das ruas Pureus e Pirapó, os crimes acontecem principalmente nos fins de semana. “Todo final de semana está tendo. Acho que é a mesma quadrilha sempre", arriscou a mulher.
A suspeita dela é corroborada pelo depoimento de outro morador do bairro – mais um que pediu que a identidade não fosse revelada com medo de possível retaliações. Ele disse que já foi vítima da quadrilha morta neste domingo e que reconheceu alguns dos integrantes. Segundo ele, um dos bandidos caídos no asfalto inclusive usava um tênis que pertencia a seu pai.
Carro usado por bandidos colidiu contra viatura descaracterizada da polícia (Foto: Will Soares/G1)

Confronto

Ao todo, dez criminosos foram mortos em um confronto com policiais civis na região do Morumbi, bairro nobre na Zona Sul de São Paulo, por volta das 19h30 deste domingo. Não há relatos de sobreviventes entre os suspeitos. Nenhum policial do Grupo Armado de Repressão a Roubos e Assaltos (Garra), responsável pela operação, ficou ferido.
De acordo com informações da Polícia Civil, os bandidos integravam uma quadrilha especializada em roubos a residência e vinham sendo monitorados por suspeitas de atuarem na região. Eles já teriam promovido ao menos 20 assaltos do tipo e foram abordados após uma nova tentativa de roubo.
O confronto aconteceu no bolsão residencial formado pelas ruas Pirapó, Pureus, Melo Morais Filho e Santo Eufredo. Corpos baleados podiam ser encontrados nas três vias. Os criminosos estavam em dois carros, um Hyundai Santa Fé e um Fiat Toro, e tinham acabado de deixar uma casa do perímetro quando foram cercados pela polícia.
A quadrilha havia invadido uma casa onde estavam quatro pessoas, sendo três adultos e uma criança, conforme informou a polícia. Os bandidos renderam os moradores e tentavam abrir um cofre quando foram avisados por comparsas que estavam do lado de fora sobre uma movimentação suspeita de veículos perto do imóvel. Eles desconfiaram que era a polícia e abortaram o roubo.
Armas apreendidas com a quadrilha, segundo a polícia (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

Batidas e disparos

Na tentativa de fuga, o motorista que dirigia a Santa Fé colidiu contra um poste. Já o bandido que dirigia o Fiat Toro bateu em um carro descaracterizado da Polícia Civil. Dois dos ladrões tentaram escapar a pé, mas foram alvejados.
Segundo a polícia, os assaltantes estavam armados com quatro fuzis, três revólveres e duas pistolas, e dispararam contra os agentes que, por sua vez, revidaram. O armamento da quadrilha foi apreendido e levado à sede do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), responsável pela investigação do caso.
Uma Toyota Hilux que estava estacionada na rua e desocupada também foi atingida na confusão - por disparos e por um dos carros usados pela quadrilha. Marcas de tiros também podiam ser encontradas em imóveis da vizinhança e em outras viaturas do Garra que participaram da ação.
Placas sinalizam onde estão parte das dezenas de cápsulas deflagradas no tiroteio do Morumbi (Foto: Will Soares/G1)







Por Will Soares, G1 SP, São Paulo  
COMPARTILHAR:

+1

Publicidade:

Roraima music no twitter

Total de visualizações

Cursos Online

Receba Nossas atualizações

•Recomende-nos No Google+
•Receba Nossas Notícias do Roraima Music Por e-mail