Viveiro de compensação ambiental tem capacidade para um milhão de mudas

No Viveiro Agroflorestal, são plantadas mudas frutíferas e madeiráveis (Foto:Hione Nunes)
 
Criado com o objetivo de recuperar as Áreas de Preservação Permanente (APP) e Áreas de Reserva Legal, o Viveiro Agroflorestal Cláudio Delai, localizado na Usina Termelétrica Oliveira, na região de Monte Cristo, zona rural de Boa Vista, tem capacidade de plantio de até um milhão de mudas.
De acordo com o diretor de Monitoramento e Controle Ambiental da Fundação Estadual do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Femarh), Mazenaldo Costa, o viveiro é uma compensação ambiental definida em acordo entre a Oliveira Energia [usina termelétrica que fornece energia] e a Femarh, para o plantio frutífero e recuperação de áreas degradadas. Lá são cultivadas mais de 50 espécies, entre frutíferas e madeiráveis, que podem ser distribuídas para o pequeno produtor rural. “As mudas são distribuídas para a recuperação de Áreas de Preservação Permanente (APP) e também para produtores. Assim, além de recuperar áreas degradadas, gera renda com as mudas frutíferas”, explicou.
Para ter acesso às mudas é preciso que o produtor procure o Setor de Agricultura Familiar da Femarh para que seja feito um requerimento de pedido, que será analisado em estudo feito por agrônomos. Após a conclusão do pedido, se positivo, as mudas são liberadas para doação ao interessado. “É muito simples ter acesso, é só procurar a Femarh, no setor indicado e fazer o pedido. Nossa equipe vai fazer um estudo e, se comprovada à necessidade, liberamos a doação das mudas”, enfatizou.
Ainda segundo o diretor, a Femarh coordena um grupo técnico que conta com a participação da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), da Secretaria Estadual de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), da Agência de Defesa Agropecuária de Roraima (Aderr) e da Superintendência Federal de Agricultura (SFA). Esse grupo técnico orienta, acompanha e dá suporte necessário aos produtores que recebem as doações das mudas, para o acompanhamento da plantação. “Nós coordenamos uma equipe que faz todo acompanhamento, para que nenhuma muda doada seja desperdiçada. Sabemos da importância delas, tanto para compensação ambiental como para o social, pois gera renda ao pequeno agricultor”, salientou.
EXIGÊNCIA – Compensação ambiental acontece quando a empresa faz algum trabalho que envolve o Meio Ambiente, como forma de compensar os impactos causados pela ação. No caso do Viveiro Agroflorestal Cláudio Delai, a compensação foi uma exigência da Fundação Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Femarh) para liberar o licenciamento ambiental da usina termelétrica. (E.S)





Por Folha Web
COMPARTILHAR:

+1

Publicidade:

Roraima music no twitter

Total de visualizações

Cursos Online

Receba Nossas atualizações

•Recomende-nos No Google+
•Receba Nossas Notícias do Roraima Music Por e-mail