Trabalhadores são convocados pelo INSS para revisão de benefício

Com publicação de edital de convocação no Diário Oficial da União, segurado terá cinco dias para agendar perícia
Gerente Executivo do INSS em Roraima, Gelbson Braga, orienta segurados convocados a realizarem agendamento para perícia médica (Foto: Hione Nunes)

Dos 601 trabalhadores roraimenses que recebem o benefício por incapacidade pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), 396 ainda não compareceram à agência de Boa Vista para a revisão de perícia médica, conforme determinação do Governo Federal.
A convocação, segundo o INSS, foi feita por carta endereçada aos domicílios dos segurados, no entanto, nem todos foram encontrados ou não realizaram agendamento junto ao teleatendimento 135, o que fez com que o Governo Federal realizasse uma nova convocação em edital.
“Nesse primeiro momento, o Governo Federal está convocando os segurados que recebem judicialmente, ou seja, somente aquelas pessoas que deram entrada no benefício, o pedido foi indeferido e a pessoa recorreu na justiça, que determinou que o Instituto pagasse”, explicou o gerente executivo do INSS em Roraima, Gelbson Braga.
Com a publicação do edital no Diário Oficial da União (DOU) de ontem, 1º, o segurado que teve o nome listado deve fazer o agendamento da perícia médica no prazo de cinco dias. Do contrário, terá o pagamento de benefício suspenso até a realização do procedimento.
“Muita gente vem até a agência central de Boa Vista para perguntar sobre a realização de perícia, só que as perícias são destinadas àqueles que recebem benefício por incapacidade. Então, a orientação que damos é que essas pessoas façam o agendamento no 135. Quem vier aqui sem ter feito esse procedimento, só perderá tempo e dinheiro, até porque a gente não resolve nada. Ele [segurado] só deve vir até nós depois do agendamento pelo teleatendimento”, explicou Gelbson Braga.
CANCELADOS – Conforme Braga, dos 205 segurados que realizaram agendamento e já passaram pela perícia, 143 tiveram benefícios cancelados, ou seja, 70%. “O benefício por incapacidade é destinado para aquele trabalhador que realmente está impossibilitado de voltar a trabalhar, sendo que o pagamento é feito em um período de dois anos, tempo suficiente para que ele possa se restabelecer. Por algum motivo, as pessoas que tiveram os benefícios cortados vieram para a perícia e o médico as constatou como aptas para retornar ao mercado de trabalho”, disse.
Ainda de acordo com o gerente executivo do INSS, 46 segurados tiveram benefícios convertidos para aposentadoria por invalidez, quando acidentes causam sequelas permanentes; nove foram encaminhados para reabilitação profissional, quando há possibilidade de retorno às atividades trabalhistas, mas que precisam ser inseridos em outra área; e sete foram convertidos para auxílio doença. “Somente com os benefícios cessados, gerou-se uma economia anual estimada em R$ 1.811.320,28, um número que pode aumentar, já que ainda restam 396 perícias para serem feitas”, concluiu. (M.L)






Por Minervaldo Lopes
COMPARTILHAR:

+1

Publicidade:

Roraima music no twitter

Total de visualizações

Cursos Online

Receba Nossas atualizações

•Recomende-nos No Google+
•Receba Nossas Notícias do Roraima Music Por e-mail