Proposta de aumentar alíquota do Imposto de Renda 'não era adequada', diz Meirelles

Ministro disse, ainda, que subir impostos é a 'última alternativa' do governo para reequilibrar as contas públicas.
Ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, fala a jornalistas em São Paulo (Foto: Karina Trevizan/G1)

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse nesta terça-feira (8) que a proposta que estava sendo estudada pela área técnica da Fazenda para aumentar a alíquota do Imposto de Renda "não era adequada e, portanto, já foi anunciado que não será aprovada". Ele disse ainda que, para reequilibrar as contas públicas, o aumento de impostos seria a "última alternativa".
Segundo Meirelles, a divulgação sobre o estudo de um possível aumento do IR não foi "planejada", mas a discussão que ela gerou foi positiva. "Houve uma divulgação sobre estudos técnicos de possíveis aumento de impostos. Isso gerou um debate, o que é absolutamente legítimo, normal. Apesar de não ter sido planejada essa divulgação, foi bom, porque gerou a discussão", afirmou o ministro, após várias entidades se posicionarem contra uma eventual alta da alíquota e o próprio presidente da Câmara, Rodrigo Maia, afirmar que uma proposta nesse sentido não passaria na casa.
Além do aumento de impostos, o ministro disse ainda que aumentar a previsão de déficit do governo no ano, atualmente em R$ 139 bilhões, "também é uma alternativa". A outra, segundo ele, seria cortar mais as despesas públicas, mas o ministro disse que os gastos do governo já foram reduzidos ao limite. "O corte de despesas está no limite. As despesas estão realmente abaixo do que seria adequado do ponto de vista do funcionamento de serviços básicos, como educação, saúde e segurança."
Ministro da Fazenda disse que aumento dos impostos seria a 'última alternativa' (Foto: Aloisio Mauricio/Fotoarena/Estadão Conteúdo)
Perguntando sobre qual das três é a melhor opção, Meirelles disse que "depende de para quem você está falando", acrescentando que não anteciparia a decisão da Fazenda.
As declarações foram feitas em evento promovido pela revista Época Negócios em São Paulo. Antes da fala do ministro, o presidente da Fiesp, Paulo Skaf, também discursou e disse ter certeza de que "o ministro Meirelles está consciente de que não pode aumentar impostos", sendo aplaudido em seguida pela plateia composta por vários empresários.

Recuo de Temer

Em evento em São Paulo durante a manhã, o presidente Michel Temer havia dito que o governo estudava um eventual aumento da alíquota do Imposto de Renda. Segundo o jornal "O Globo", a medida faria parte de um cardápio de alternativas discutidas pela equipe econômica para elevar a arrecadação e reduzir o rombo nas contas públicas.
"Há estudos, há dos mais variados estudos. São estudos que se fazem rotineiramente. A todo momento estão fazendo planejamento nos setores da economia, eles fazem esses estudos. São estudos que estão sendo feitos, mas nada decidido", disse o presidente.
O anúncio causou repercussão (veja o vídeo abaixo), e no fim da tarde o governo divulgou uma nota na qual diz que não enviará ao Congresso qualquer proposta de aumentar o IR. Conforme o texto, Temer teria mencionado o assunto de maneira "genérica". "Esclarecemos que hoje esses estudos estão focados prioritariamente em reduzir despesas e cortar gastos, na tentativa obstinada de evitar o aumento da carga tributária brasileira", diz a nota. 





Por Karina Trevizan, G1 
COMPARTILHAR:

+1

Publicidade:

Roraima music no twitter

Total de visualizações

Cursos Online

Receba Nossas atualizações

•Recomende-nos No Google+
•Receba Nossas Notícias do Roraima Music Por e-mail