Polícia faz ação para prender suspeitos de explodir sede da empresa Brinks, no Recife | Portal RR Music

Polícia faz ação para prender suspeitos de explodir sede da empresa Brinks, no Recife

'Operação Durga' foi deflagrada na madrugada desta terça-feira (1º), no Recife, Região Metropolitana, além de cidades em São Paulo e no Rio Grande do Norte. Crime contra base da firma de segurança ocorreu em fevereiro.
Suspeitos presos e material apreendido são levados para o Depatri, na Zona Oeste do Recife (Foto: Pedro Alves/G1)

A Polícia Civil de Pernambuco deflagrou, na manhã desta terça-feira (1º), uma ação para prender seis suspeitos de envolvimento na explosão da sede da empresa de segurança Brinks, na Zona Oeste do Recife. Na ação, em 21 de fevereiro deste ano, houve explosões, carros queimados e troca de tiros. Três policiais militares ficaram feridos.
Na ‘Operação Durga’, os agentes cumprem seis mandados de prisão, 17 mandados de busca e apreensão domiciliar, além de dois mandados de condução coercitiva, quando os suspeitos são levados para prestar depoimento. A ação ocorreu no Recife, Região Metropolitana, além de Nova Odessa (SP) e Natal (RN).
A ‘Operação Durga’ é a 28ª ação de repressão qualificada deste ano. Participam das prisões e apreensões 150 policiais civis, entre delegados, agentes, escrivães, além de Policiais Militares. Houve, apoio, de representantes do Ministério Público de Pernambuco (MPPE).
As investigações foram efetuadas pela Delegacia de Roubos e Furtos, unidade do Departamento de Repressão aos Crimes Patrimoniais (Depatri). Os presos e materiais apreendidos serão levados para a sede da unidade especializada, na Zona Oeste do Recife.
Carros foram queimados na Zona Oeste (Foto: Antônio Coelho/ TV Globo)

Entenda o caso

De acordo com a polícia, cerca de 30 bandidos fortemente armados participaram da ação. Eles tinham como alvo principal a empresa de transporte de valores. Para entrar no cofre, explodiram o muro de uma loja de conveniência de um posto de combustíveis, que fica no terreno ao lado.
O grupo fez cinco pontos de bloqueios para facilitar a investida, de acordo com a PM e a Companhia de Trânsito e Transporte Urbano do Recife (CTTU).
O primeiro ocorreu na Ponte do Jiquiá, na Avenida José Rufino com a Rua São Miguel. Ainda na José Rufino, outro bloqueio só que no cruzamento com a Avenida Recife, onde deixaram um carro queimado pouco antes do Viaduto Ulisses Guimarães. Um ponto no viaduto e outro logo após ele. O último bloqueio foi formado na Avenida Recife próximo ao Conjunto Habitacional Ignêz Andreazza.
Assalto a transportadora de valores termina em tiroteio no Recife (Foto: Marlon Costa/Pernambuco Press)

De acordo com a Polícia Civil, ao todo, foram queimados sete veículos nos bloqueios. Os bandidos abandoranam, em cima do Viaduto Ulisses Guimarães, um dos veículos utilizados durante a investida criminosa.
O carro blindado foi pintado de preto e a placa retirada para dificultar a identificação. A Avenida Recife, uma das principais vias da Zona Oeste, chegou a ser interditada no sentido Zona Sul.
De acordo com a Secretaria de Educação do Recife, pelo menos, sete escolas ficaram sem aulas na região. Outras quatro escolas estaduais também tiveram as aulas suspensas. 





Por G1 PE 
COMPARTILHAR:

+1

Publicidade:

Roraima music no twitter

Total de visualizações

Cursos Online

Receba Nossas atualizações

•Recomende-nos No Google+
•Receba Nossas Notícias do Roraima Music Por e-mail