Irã acusa EUA de violação do acordo nuclear no início do segundo mandato de Rohani | Portal RR Music

Irã acusa EUA de violação do acordo nuclear no início do segundo mandato de Rohani

Guia supremo Ali Khamenei "ratificou" a eleição de Hassan Rohani em maio.
Presidente iraniano, Hassan Rouhani, participa de cerimônia com o líder supremo, Ali Khamenei (Foto: Leader.ir/ Reuters)

O Irã condenou nesta quinta-feira (3) as novas sanções americanas, que chamou de "violação" do acordo sobre seu programa nuclear, no mesmo dia em que começa o segundo mandato do presidente Hassan Rohani, pressionado em seu país.
Durante uma cerimônia oficial, o guia supremo Ali Khamenei "ratificou" a eleição de Rohani em maio, uma etapa forma necessário para o início do segundo e último mandato do presidente moderado, que prestará juramento ante o Parlamento no sábado (5).
Apesar de sua eleição triunfal, Rohani é criticado no Irã, onde os conservadores o acusam de ter feito muitas concessões às grandes potências sem escutar as suas advertências sobre os Estados Unidos, grande inimigo da República Islâmica.
O acordo assinado em julho de 2015 entre o Irã e as grandes potências (Estados Unidos, Reino Unido, França, Rússia, China e Alemanha) limita o programa nuclear iraniano ao uso civil em troca da suspensão progressiva das sanções internacionais.
Ao contrário da administração americana anterior de Barack Obama, o governo de Donald Trump adotou uma atitude hostil a respeito do Irã e critica o acordo nuclear.
O Congresso americano aprovou novas sanções contra o Irã, que envolvem seu exército de elite, a Guarda Revolucionária, assim como o programa balístico de Teerã. a situação dos direitos humanos e o apoio de Teerã a grupos como o movimento xiita libanês Hezbollah, que Washington classifica como terrorista.
"Acreditamos que o acordo nuclear foi violado e, portanto, vamos reagir de forma apropriada", disse o vice-ministro iraniano das Relações Exteriores, Abas Araghchi.
Irã e Estados Unidos não mantêm relações diplomáticas desde 1980.
"O objetivo principal da lei americana é assustar as grandes empresas e impedir que cooperem com o Irã. Mas comprovamos que a política dos países europeus vai contra isso", completou Araghchi.
No fim de junho, o Senado americano aprovou quase por unanimidade um projeto de lei que já havia sido votado na Câmara de Representantes para impor sanções contra Rússia, Irã e Coreia do Norte. O presidente Trump promulgou as medidas na quarta-feira.
A comissão iraniana que supervisiona a aplicação do acordo, integrada por Rohani e outras autoridades, "adotou 16 medidas que incluem uma série de reações contra a ação dos Estados Unidos", completou Araghchi, sem revelar mais detalhes.
"Depois da promulgação da lei de sanções contra o Irã por Trump entramos em uma nova etapa e o Parlamento vai adotar sua própria lei em reação à lei americana", disse Araghchi.
O Parlamento iraniano começou a analisar um projeto de lei para reforçar o programa balístico do país e a força Qods da Guarda Revolucionária para "lutar contra as sanções dos Estados Unidos".
Além dos ataques dos conservadores, Rohani também é criticado entre os reformistas por não ter concedido espaço suficiente a esta ala em seu governo, que apresentará no sábado ao Parlamento.
Também é criticado por não ter nomeado nenhuma mulher para o ministério.
Mas o presidente recebeu o apoio dos principais comandantes da Guarda Revolucionária, após uma troca de ataques nos últimos meses. 





Por France Presse 
COMPARTILHAR:

+1

Publicidade:

Roraima music no twitter

Total de visualizações

Cursos Online

Receba Nossas atualizações

•Recomende-nos No Google+
•Receba Nossas Notícias do Roraima Music Por e-mail