Governo prepara retorno de ministros à Câmara para tentar barrar denúncia | Portal RR Music

Governo prepara retorno de ministros à Câmara para tentar barrar denúncia

Dos 28 ministros, 12 são deputados e estão licenciados da Câmara. Objetivo do governo é garantir apoio político para barrar denúncia da PGR; votação está marcada para esta quarta (2).
O presidente Michel Temer (Foto: Eraldo Peres/AP)

A um dia da votação da denúncia contra o presidente Michel Temer, marcada para esta quarta-feira (2), o Palácio do Planalto prepara o retorno de ministros à Câmara dos Deputados. Dos 28 integrantes do primeiro escalão do governo, 12 são deputados e estão licenciados do mandato (leia a lista mais abaixo).
A estratégia já havia sido antecipada pelo Blog do Camarotti. O objetivo é garantir votos para barrar o prosseguimento da denúncia da Procuradoria Geral da República contra Temer. Além disso, o Planalto conta com esses ministros para que eles atuem na articulação política e busquem votos para ajudar Temer.
Com base nas delações de executivos do grupo J&F, que controla a JBS, Temer foi denunciado ao Supremo Tribunal Federal pelo crime de corrupção passiva.
O STF só poderá analisar a denúncia, contudo, se a Câmara autorizar. O processo só seguirá para a Corte se contar com o apoio de, pelo menos, 342 deputados.
VOTAÇÃO DA DENÚNCIA: Saiba como será a sessão da Câmara
Para esta terça (1º), está prevista a leitura, em plenário, do parecer aprovado pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), que recomenda a rejeição da denúncia. A leitura é uma etapa formal do processo.

A estratégia do governo

À TV Globo, o ministro da Secretaria-Geral, Moreira Franco, afirmou nesta segunda (31) não ser possível afirmar que todos os 12 ministros licenciados da Câmara retomarão os mandatos.
"Não sei se todos reassumirão [o mandato], mas a orientação geral é que eles todos deverão estar presentes para dar o testemunho de que nós queremos votar", disse.
Segundo apurou o G1, uma das possibilidades discutidas no Planalto é repetir a estratégia adotada nas votações da PEC do Teto e da reforma trabalhista, nas quais somente alguns dos ministros reassumiram os mandatos.
Um dos responsáveis por mapear a votação, o deputado Beto Mansur (PRB-SP) defende a presença de todos os ministros em plenário. "Mesmo que o suplente vote com o governo, é importante ter o ministro no microfone marcando posição, dando sinal de unidade no governo", afirma.
Com base nesses mapas, elaborados por aliados e pelo próprio Planalto, o governo avalia o retorno de, ao menos, quatro ministros:
>>> Ronaldo Nogueira, do PTB-RS (Trabalho): O suplente, Assis Melo (RS), é filiado ao PCdoB e faz oposição a Temer.
>>> Bruno Araújo, do PSDB-PE (Cidades); Mendonça Filho, do DEM-PE (Educação); e Fernando Coelho Filho, do PSB-PE (Minas e Energia): Os suplentes, Creuza Pereira (PSB-PE) e Severino Ninho (PSB-PE), já declararam voto a favor da denúncia.
Outros ministros podem retornar à Câmara porque o Planalto tem dúvida sobre os votos dos suplentes:
>>> Antonio Imbassahy, do PSDB-BA (Secretaria de Governo); Sarney Filho, do PV-MA (Meio Ambiente); Marx Beltrão, do PMDB-AL (Turismo); e Ricardo Barros, do PP-PR (Saúde).
Há também os casos de ministros que são esperados em plenário, embora haja a expectativa do governo de os suplentes votarem contra a denúncia: Osmar Terra, do PMDB-RS (Desenvolvimento Social); Leonardo Picciani, do PMDB-RJ (Esporte); e Maurício Quintella, do PR-AL (Transportes).

Os ministros licenciados

Saiba abaixo quem são os ministros licenciados do mandato de deputado federal:
  • Antonio Imbassahy (PSDB-BA), da Secretaria de Governo;
  • Bruno Araújo (PSDB-PE), das Cidades;
  • Fernando Coelho Filho (PSB-PE), de Minas e Energia;
  • Leonardo Picciani (PMDB-RJ), do Esporte;
  • Marx Beltrão (PMDB-AL), do Turismo;
  • Maurício Quintella (PR-AL), dos Transportes;
  • Mendonça Filho (DEM-PE), da Educação;
  • Osmar Terra (PMDB-RS), do Desenvolvimento Social;
  • Raul Jungmann (PPS-PE), da Defesa – ele é suplente;
  • Ricardo Barros (PP-PR), da Saúde;
  • Ronaldo Nogueira (PTB-RS), do Trabalho;
  • Sarney Filho (PV-MA), do Meio Ambiente.







Por Guilherme Mazui, G1, Brasília 
COMPARTILHAR:

+1

Publicidade:

Roraima music no twitter

Total de visualizações

Cursos Online

Receba Nossas atualizações

•Recomende-nos No Google+
•Receba Nossas Notícias do Roraima Music Por e-mail