Governo desiste de reintegração de posse | Portal RR Music

Governo desiste de reintegração de posse

Representantes da Famer e do Governo entraram em acordo para desocupação por livre vontade de invasores
Integrantes da Famer ocupam desde maio área próxima ao Matadouro público (Foto: Diane Sampaio)

O Governo do Estado, por meio da Companhia de Desenvolvimento de Roraima (Codesaima), requereu a suspensão da execução da reintegração de posse dos ocupantes da área do Matadouro Frigorífico e Industrial de Roraima por 30 dias. Mais de 12 mil pessoas estão no local há quase três meses, onde já construíram barracos e montaram estruturas de madeira.
No documento encaminhado ao Tribunal de Justiça do Estado de Roraima, a Codesaima informou que, em reunião realizada no Palácio Senador Hélio Campos, foi acordado que a reintegração seria feita de forma amigável, a fim de se evitar a deflagração de possíveis conflitos. “Razão pela qual a requerente aproveita o ensejo para pleitear a suspensão da execução da ordem de reintegração pelo prazo de 30 dias”, argumenta.
O pedido foi acatado pela juíza Noêmia Cardoso Leite de Sousa, da 6ª Vara Cível. “Como este juízo deferiu a medida liminar determinando a reintegração de posse da área em litígio, contudo, até o presente momento, a referida decisão não foi cumprida, defiro o pedido de suspensão do processo pelo prazo de 30 dias”, diz a decisão judicial.
DO MAFIRR – A área ocupada fica ao lado do Matadouro Frigorífico e Industrial de Roraima (Mafirr), na região da Água Boa, zona rural de Boa Vista. As pessoas que invadiram o local são as mesmas que ocuparam uma área particular próxima ao Haras Cunhã Pucá, no município do Cantá, em abril deste ano. Os donos da propriedade ingressaram com pedido de reintegração de posse, que foi deferido pela Justiça estadual.

Reunião no Palácio do Governo decidiu por acordo com invasores

Segundo o Governo do Estado, a suspensão atende deliberação da Comissão criada pela Portaria 287/2017, da Casa Civil do Governo de Roraima, e formada por membros de diversas instituições, incluindo a Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa de Roraima (ALE).
A decisão ocorreu em 16 de junho, em uma reunião no Palácio Senador Hélio Campos, entre representantes da comissão formada para tratar da questão dos invasores e o representante da Federação das Associações de Moradores de Roraima (Famer), Faradilson Mesquita. O teor da reunião veio a público somente agora.
Participaram da reunião o secretário adjunto da Casa Civil Shiská Pereira; o procurador do Estado Andre Elysio Campos Barbosa; o presidente do Instituto de Terras e Colonização (Iteraima), Alysson Macedo; o presidente da Codesaima, Marcio Granjeiro; o deputado Soldado Sampaio, da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa; o representante da Famer, Faradilson Mesquita; e o presidente do Conselho das Cidades, Sandro de Souza Cruz.
O presidente da Famer disse na reunião que sua entidade tem 12 mil famílias cadastradas com pessoas carentes de moradia própria. “Não temos interesse em causar prejuízo para ninguém, mas solicitamos a cessão de uma área institucional ou desapropriada em Boa Vista, área limítrofe ou município vizinho para criação do loteamento”, afirmou.
Na reunião ficou acertado que o Governo do Estado iria buscar resolver o impasse disponibilizando ou desapropriando uma área para alocar as pessoas da ocupação e que os ocupantes vão sair de livre e espontânea vontade do terreno da Codesaima.






Por Folha Web
COMPARTILHAR:

+1

Publicidade:

Roraima music no twitter

Total de visualizações

Cursos Online

Receba Nossas atualizações

•Recomende-nos No Google+
•Receba Nossas Notícias do Roraima Music Por e-mail