'Não desejo essa dor nem para os pais do agressor', diz mãe de jovem morto com taco de beisebol

Eliton Torres foi agredido com dois golpes e teve ombros, dentes, crânio fraturados, segundo a mãe do rapaz. Ele morreu três dias depois no hospital.
Eliton Torres era ator e vendia bolos enquanto estava desempregado, disse a mãe (Foto: Reprodução/Redes Sociais)

Será enterrado nesta terça-feira, no Cemitério do Caju, na Zona Portuária do Rio, Eliton Torres, de 23 anos, agredido com um taco de beisebol na última quarta-feira (31). Em entrevista ao G1, a mãe do jovem, Marisa Torres, afirma que apesar da morte do rapaz ter abalado toda a sua família, ela não deseja o mesmo sentimento para os pais do agressor.
“Não desejo nem para o pai nem para a mãe dele a dor causada pelo que ele fez com meu filho. Eu não quero nada, só quero a Justiça e que ele seja preso porque ele destruiu os sonhos do meu filho”, desabafou. Nesta segunda-feira (5), o deputado estadual Chiquinho da Mangueira afastou o assessor parlamentar Raul Soares Neto, suspeito de envolvimento na morte de Eliton.
Eliton foi agredido na cabeça com dois golpes de taco de beisebol na última quarta-feira (31), quando comemorava o aniversário de 23 anos, juntamente com três amigos, no bairro de São Cristóvão, Zona Norte do Rio, onde foi criado. Segundo a mãe dele , um homem com quem Eliton tivera uma briga há alguns anos viu quando o grupo passava em frente à sua casa e tentou iniciar uma nova discussão.

“Ele saiu de casa para matar. Ele foi atrás do meu filho com um taco de beisebol e quando o Eliton virou as costas dizendo que não queria brigar, deu uma pancada na cabeça e meu filho caiu no chão. Quando os amigos dele foram tentar ajudar, o pai dele [do suspeito] desceu com uma arma e deu um tiro pro alto, dizendo pra ninguém interferir”, contou a mãe.
Marisa disse ainda que, após o tiro para o alto, o agressor desferiu outro golpe na cabeça de Eliton, que permanecia caído no chão. "Quebrou os ombros do meu filho, a cabeça, os dentes, a gengiva estava toda para fora e o pai dele não deixava as pessoas tirarem meu filho de lá, dizia que quem tentasse tirar, ele daria um tiro”, relatou.
Horas antes da agressão o jovem chegou a comemorar o aniversário no Facebook (Foto: Reprodução/Redes Sociais)

Eliton chegou a ser levado ainda com vida para o Hospital Municipal Souza Aguiar, no Centro do Rio e permaneceu internado durante três dias. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), a vítima deu entrada na unidade com estado de saúde considerado grave e foi diagnosticado com traumatismo craniano.
Em nota, a Polícia Militar confirmou que o 4º BPM (São Cristóvão) foi acionado e a Policia Civil estava investigando o caso. O crime havia sido registrado pela 17ª DP (São Cristóvão) mas, após a morte do rapaz, as investigações passaram para a Delegacia de Homicídios da Capital (DH).
Segundo Marisa, a família do jovem que agrediu Eliton se mudou da casa onde residiam no dia seguinte ao crime. “A polícia foi procurar o garoto e não encontrou ninguém. A família toda fugiu”, contou. O G1 procurou a Polícia Civil para verificar essa informação, mas ainda não obteve resposta. 






Por Suelen Bastos*, G1 Rio
COMPARTILHAR:

+1

Publicidade:

Roraima music no twitter

Total de visualizações

Cursos Online

Receba Nossas atualizações

•Recomende-nos No Google+
•Receba Nossas Notícias do Roraima Music Por e-mail