Donos de boxes são remanejados para que Mercado do São Francisco seja reformado | Portal RR Music

Donos de boxes são remanejados para que Mercado do São Francisco seja reformado

Dos 69 vendedores, 22 decidiram permanecer em um galpão alugado, no próprio bairro, para manter a clientela
Construído há quase quatro décadas, mercado será revitalizado ao custo de R$ 4,5 milhões (Foto: Wenderson de Jesus)

O Mercado Municipal do São Francisco passará por revitalização após 38 anos de criação. O investimento da obra que será realizada no prédio, o qual leva o nome do bairro onde está situado, será de aproximadamente R$ 4,5 milhões. Para que o serviço seja iniciado, os permissionários dos 63 quiosques começaram ontem a ser realocados para diferentes feiras da Capital. Outros preferiram continuar no próprio bairro para manter a clientela.
Esta será a primeira grande reforma da Feira do São Francisco. Ao longo dos anos, o local recebeu apenas alguns reparos necessários. Um dos intuitos da mudança é oferecer mais conforto e acessibilidade aos comerciantes e clientes. O novo espaço ganhará dez frutarias, cinco boxes destinados a serviços que contemplarão açougue, venda de peixes, frutos do mar e polpa de frutas; oito armazéns para a venda de grãos, administração do mercado, banheiros, fraldário, depósitos,  duas praças de alimentação, sendo uma interna para nove restaurantes, e outra externa, para seis cafés.
Por esse motivo, o mercado terá o quantitativo de quiosques reduzido para que tenha um espaço mais amplo. Os vendedores precisarão se atualizar quanto às obrigações e exigências de funcionamento, principalmente levando em consideração questões de acessibilidade e higiene.

Grupo aluga galpão próximo da feira para tentar manter clientela

Uma das permissionárias mais antigas do Mercado de São Francisco é a Maria do Rosário, conhecida pela clientela como “Maria Verdureira”. A comerciante é natural do Maranhão e chegou à Capital em 1972 trazendo sete filhos. Quando a feira inaugurou, ela estava presente.
“Criei meus sete filhos com dinheiro da feira e todos estudaram e também trabalharam comigo. A gente estava precisando mesmo de mudança. O local estava sujo, com cheiro ruim, portas quebradas, sem contar a quantidade de baratas. Chegaram a dedetizar uma vez a feira, mas não deu muito resultado”, relatou a feirante, que preferiu permanecer no bairro São Francisco e mudou-se para a rua logo à frente por sua conta.
Não foi só Maria que deu prioridade à clientela. Outros 22 feirantes decidiram alugar um galpão em parceria, localizado na Rua Aruaque, bem ao lado de um supermercado da Avenida Santos Dumont, também no bairro São Francisco. Cada um vai pagar pouco mais de R$ 100,00 de aluguel. No espaço, foram construídos boxes de variados segmentos.
Alguns modernizaram seu espaço com climatizadores, portas de vidro e prateleiras, como foi o caso de Socorro Evas. “A reforma vai ficar boa para os clientes e para nós também. Eu tenho 14 anos trabalhando na feira e nunca vi mudança”, frisou.
CASAMENTO - Júlio César e Marilene Correia hoje são casados e cada um possui o seu negócio. Eles se conheceram trabalhando no mercado há 10 anos. Ela comercializa produtos em geral, desde farinha a materiais de limpeza. Ele vende rações e outros artefatos para animais de estimação.
Para Marilene, a feira é um ponto turístico da Capital e precisava de mudança. “Não é só ganha-pão de muita gente, a feira faz parte da cultura da nossa cidade”, disse. Além de ficar próximo à esposa, Júlio César também deu preferência ao galpão por conta dos clientes que fidelizou ao longo dos anos. “A prefeitura nos ofereceu ir para o Mercado Romeu Caldas [no bairro Mecejana], mas não achamos economicamente viável.
Vamos agora aguardar essa reforma. A feira estava com lixo acumulado e com quiosques mal distribuídos. A obra é um bem necessário”, disse o comerciante.

Obra não tem data para começar e terá dez meses para ser concluída

O processo licitatório para as obras foi finalizado recentemente. De acordo com a Prefeitura de Boa Vista, ainda não é possível precisar o início das obras, pois existem alguns procedimentos a serem tomados, como a elaboração do contrato com a empresa responsável, emissão da ordem de serviço e outras documentações obrigatórias. Concluído esse processo, a empresa terá 15 dias para iniciar os serviços. A obra está prevista para ocorrer dentro de 10 meses.
INSCRIÇÕES – Segundo a Prefeitura, no momento não há vagas para novos permissionários na Feira do São Francisco, porém, o programa Braços Abertos vai realizar uma cadastro reserva. Os interessados devem se dirigir ao Departamento de Patrimônio e Imóveis do Município, localizado no Terminal do Centro.
CURSOS - Durante todo período da reforma, a equipe do Programa Braços Abertos afirmou que fará acompanhamento e monitoramento de todos os comerciantes. Além disso, cada um receberá oportunidades de cursos e reciclagem.






Por Folha Web
COMPARTILHAR:

+1

Publicidade:

Roraima music no twitter

Total de visualizações

Cursos Online

Receba Nossas atualizações

•Recomende-nos No Google+
•Receba Nossas Notícias do Roraima Music Por e-mail